dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     20/01/2022            
 
 
    

Os trabalhos científicos relatam a influência da fertilidade do rebanho sobre o resultado econômico da empresa rural. As publicações mais conservadoras apontam que a fertilidade é cinco vezes mais importante do que o próprio ganho de peso para o resultado financeiro da atividade, embora, na maioria das vezes, os produtores tenham como o centro das atenções a seleção para crescimento.

Assumindo que o desempenho reprodutivo das matrizes de um rebanho é decisivo para o resultado financeiro, devemos identificar os pontos críticos desta atividade e traçar estratégias para a otimização dos resultados.

A performance reprodutiva das matrizes é um dos nossos grandes esforços de seleção, pois embora as matrizes zebuínas apresentem muita longevidade, a baixa frequência de precocidade sexual e altos intervalos entre partos resultam em uma baixa produção acumulada. Para exemplificar melhor, tomemos a seguinte premissa: “Toda matriz tem que produzir um bezerro por ano”.

Embora desejável, sabemos que a concretização desse ideal é extremamente difícil, pois, para isso, o rebanho precisaria realizar um intervalo entre partos (IEP) de 12 meses, mas, na prática, observamos um IEP muito superior a esse. Ao depurarmos os números de milhares de informações relativas ao desempenho reprodutivo de matrizes zebuínas em condições de produção a pasto, veremos que em média nossas fêmeas produzem somente três produtos antes de sua primeira falha na reprodução, ou seja, antes de um diagnóstico de gestação negativo ao final da estação reprodutiva (ER).

"Devemos identificar os pontos críticos da atividade e traçar estratégias para a otimizar os resultados"

 Marcelo Almeida Oliveira

Analisando mais cuidadosamente estas informações, visualizaremos que existe um efeito relativo à categoria animal, estatisticamente comprovado, no qual as primíparas (fêmeas paridas com o seu primeiro produto ao pé) são as principais responsáveis pela queda nos níveis produtivos de um rebanho. O resultado reprodutivo inferior às demais categorias animais do rebanho é devido a aspectos genéticos e ambientais. Os aspectos genéticos são gradativamente contornados através da seleção para a obtenção do melhor biótipo para o ambiente de produção e também pela seleção contínua para precocidade sexual. Contudo, os aspectos ambientais que são a resultante do manejo e da nutrição que oferecemos a estas fêmeas, são os nossos grandes pontos de ação, pois eles são de efeito imediato e decisivos para a modificação do panorama produtivo e reprodutivo de uma propriedade.

A primeira experiência maternal da fêmea é muito desafiadora, pois ela inicia uma série de atividades de alta demanda nutricional (parto, puerpério, lactação, cuidados com a cria) e sua exigência nutricional aumenta de sobremaneira. Tudo isso associado ao seu próprio crescimento, pois ela ainda não finalizou sua curva de crescimento, tornam a atividade reprodutiva um evento pouco provável, justamente por este motivo que devemos passar a dedicar maior atenção ao manejo desta categoria animal.


Nutrição

Por serem fêmeas que ainda se encontram em fase de crescimento, as primíparas necessitam de uma dieta rica em nutrientes, portanto devemos disponibilizar os melhores pastos e condições nutricionais da fazenda para esta categoria animal.

Além do crescimento inerente à idade da fêmea, a primeira lactação representa um grande desafio metabólico para a matriz, que frequentemente perde condição corporal (escore corporal) para manter sua produção de leite, o que na prática representa um maior dispêndio de nutrientes e consequentemente maior exigência nutricional.

Outras estratégias nutricionais podem ser implementadas, de acordo com a viabilidade econômica verificada, como a suplementação dos bezerros (Creep Feeding) para a menor dependência nutricional deles com relação às suas mães e consequentemente maior preservação da condição corporal das jovens matrizes.


Grupos de Manejo (Lotes)

Um dos cuidados primordiais com as primíparas é a separação das mesmas em lotes específicos, ou seja, na prática após o parto as primíparas devem ser mantidas em grupos de manejo exclusivamente compostos pela mesma categoria animal.

Desta maneira, diminuiremos os efeito da competição e dominância entre as matrizes adultas (Pluríparas) e as fêmeas jovens (Primíparas), otimizando o desempenho nutricional destas, melhorando inclusive o consumo de sal mineral.

Atualmente já existem rebanhos que, além de segregar as suas primíparas, já o fazem também com suas fêmeas de segundo parto (Secundíparas), que respondem positivamente a este cuidado por serem também animais em fase de crescimento.


Manejo

Essa categoria animal em especial é muito susceptível aos manejos intensivos, portanto devemos avaliar muito cuidadosamente a condição corporal das primíparas antes de definir alguns manejos específicos, por exemplo: observação e sincronização de cios. Devemos levar em consideração que manejos intensivos representam um maior gasto energético e, usualmente, estas fêmeas estão próximas ao seu limite nutricional. Os excessos serão rapidamente transformados em perda de condição corporal e conseqüente anestro.

Na prática, devemos programar um manejo reprodutivo baseado em monta natural para a categoria em questão, com realização de rodeios frequentes para monitoramento e acompanhamento da condição corporal do lote.

Com o

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Manejo - Artigos já Publicados

Guilherme Alves Pires Ferreira - AgroPlan UFV
Expansão da área cultivada com cana-de-açúcar na região do Triangulo Mineiro
26/07/2012

Leonardo Volpato - AgroPlan/UFV
Boas práticas de manejo aumentam a qualidade do café
28/06/2012

Beckhauser
A importância do manejo e da contenção para sucesso reprodutivo
01/03/2012

Beckhauser
É hora de planejar a alimentação do gado na seca
29/11/2011

AgroPlan-UFV
Manejo integrado de plantas daninhas em lavoura de café
27/10/2011

AgroPlan-UFV
Integração Lavoura - Pecuária e Floresta protege o meio ambiente e diversifica a produção
29/09/2011

Beckhauser Troncos e Balanças
“Abate humanitário”: exigência que virá do consumidor
06/09/2011

AgroPlan-UFV
Utilização de milho safrinha após geada, para silagem
04/08/2011

Beckhauser Troncos e Balanças
Escolha a agulha certa
02/06/2011

Toledo do Brasil
Balança de caminhão reduz custos logísticos
10/05/2011

AgroPlan-UFV
Colheita de sementes de brachiaria por varredura
05/05/2011

Beckhauser Troncos e Balanças
Ganhando peso na desmama
26/04/2011

Beckhauser Troncos e Balanças
Transporte racional
17/03/2011

Beckhauser
Castração depende do manejo
22/02/2011

Coimma Balanças e Troncos de Contenção
Automação do manejo: caminho sem volta
13/01/2011

Beckhauser Troncos e Balanças
Identificação bem feita
28/12/2010

Beckhauser Troncos e Balanças
Reatividade na seleção do rebanho: comportamento influencia produtividade e qualidade da carne
26/11/2010

Toledo do Brasil
Gerenciador de pesagem é a bola da vez
11/11/2010

Beckhauser
Manejo correto começa cedo
21/10/2010

Beckhauser Troncos e Balanças
Tecnologia garante rentabilidade ao negócio
22/09/2010

Bayer CropScience
Manejo de poda na cultura do café
09/09/2010

Beckhauser
Bem-estar no bolso
03/08/2010

CRV Lagoa
Marcadores genéticos, seleção genômica e outras tecnologias
06/07/2010

Beckhauser
Condução do rebanho
01/07/2010

Beckhauser
Para o gado não perder peso no curral
24/05/2010

CRV Lagoa
Estratégias para aumentar o número de vacas prenhas na fazenda
29/04/2010

Toledo do Brasil
Dica: bê-a-bá da balança rodoviária
22/04/2010

CRV Lagoa
É preciso estar sempre de olho nos índices zootécnicos
31/03/2010

Beckhauser Troncos e Balanças
Em dia com a balança
26/03/2010

Toledo do Brasil
Balança portátil realiza análise de produtividade
17/03/2010

Beckhauser
Dicas de manejo com bezerros
09/03/2010

CRV Lagoa
Melhoramento Genético para aumento de proteína no leite
27/02/2010

Toledo do Brasil
Sistema automatiza a pesagem de big bags
06/02/2010

Beckhauser Troncos e Balanças
Local de fixação do brinco pode agilizar a identificação do animal
01/02/2010

Coimma
Qualidade da carne começa na base da cadeia produtiva
26/01/2010

Beckhauser
Controle remoto no curral
12/01/2010

Beckhauser Troncos e Balanças
Tronco de contenção reduz acidentes no manejo de bezerros
22/12/2009

Beckhauser Troncos e Balanças
Eficácia da vacinação depende de manejo adequado
29/10/2009

Toledo do Brasil
Nova geração de balanças proporciona rastreabilidade
29/10/2009

CRV Lagoa
Análise de DNA permite grande salto no melhoramento genético de bovinos leiteiros
21/10/2009

Embrapa
Gerenciamento de resíduos de laboratório e de campos experimentais da Embrapa Pecuária Sudeste
01/09/2009

Conteúdos Relacionados à: Melhoramento genético
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada