dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     02/07/2022            
 
 
    

Na coluna desse mês reporto atividades discutidas nos últimos dias 24 e 25 de maio, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul, por ocasião do 9º Workshop Embrapa-UNIPASTO sobre Melhoramento de Forrageiras Tropicais. Comemorou-se na ocasião os 10 anos da parceria público-privada para desenvolver novas cultivares forrageiras tropicais de oito gêneros forrageiros. Um aporte financeiro anual é alocado pela UNIPASTO e as atividades são realizadas por pesquisadores das diferentes unidades da Embrapa: Embrapa Cerrados, Gado de Leite, Gado de Corte, Pecuária Sudeste, Amazônia Oriental e Acre e ainda da CEPLAC e de várias universidades por meio de professores e pós-graduandos.

Os gêneros forrageiros em discussão foram Andropogon, Arachis, Brachiaria, Cajanus, Panicum, Paspalum, Pennisetum, e Stylosanthes. A UNIPASTO está constituída por 28 empresas produtoras de sementes (www.unipasto.com.br) que tem exclusividade na multiplicação das cultivares geradas pela Embrapa. Além de representarem a maior parcela de comercialização de sementes no mercado brasileiro (mercado legal de sementes em torno de R$1 bilhão/ano), várias dessas empresas são também exportadoras de sementes levando, portanto a tecnologia brasileira a toda América Latina e África.

Durante o evento foram apresentados resultados das pesquisas do último ano sobre esses oito gêneros e discutidas as atividades previstas para a liberação de novas cultivares que já estão na linha final de avaliação com representantes de todas as unidades da Embrapa e das empresas sementeiras.

A palestra de abertura foi dada pelo Dr. Eduardo Assad – pesquisador da Embrapa Informática Agropecuária e versou sobre as mudanças climáticas e os serviços ambientais de pastagens. Muito bem enfatizado pelo palestrante foram os benefícios de pastagens bem manejadas e produtivas para a incorporação de carbono na estrutura do solo, mas maior ainda a vantagem se o sistema for agricultura-pecuária-floresta. Os retornos financeiros são vantajosos para o produtor e para o meio-ambiente com benefícios adicionais em termos de conforto animal e produtividade. Uma segunda palestra oferecida pela Dra. Lucimara Chiari visou apresentar as biotécnicas em uso e alguns resultados já obtidos nos programas de melhoramento dessas forrageiras a fim de sensibilizar as empresas em investir mais e com isso agilizar os programas. Já se podem utilizar marcadores para apomixia em alguns gêneros, reconhecer híbridos por marcadores, estimar taxas de cruzamento e especialmente identificar de forma inequívoca as cultivares protegidas liberadas no convênio. Uma terceira palestra foi apresentada pela Dra. Selemara Berckembrock Ferreira Garcia – BAA advogados, assessora jurídica da empresa COODETEC – discorrendo sobre propriedade intelectual e problemas de pirataria de cultivares (estima-se que cerca de 40% das sementes de forrageiras tropicais comercializadas esteja na ilegalidade). Considerando apenas a Cultivar de Brachiaria Piatã, que contribui com 5% no mercado de sementes de Brachiaria, as perdas por pirataria de sementes chegam a 30% (R$ 20 milhões/ano). A Embrapa liberou duas cultivares protegidas (BRS Piatã e BRS Mandarim) e inúmeras denúncias de uso indevido da marca, ou registro de campos de produção de sementes como de outra variedade, ausência de registro de campo, entre outras irregularidades têm sido feitas junto ao MAPA e Embrapa. A Dra. Selemara discutiu as providências que podem ser tomadas visando coibir esse tipo de pirataria.

Além da cultivar BRS Tupi de B. humidicola a ser apresentada e negociada na FEICORTE 2012 em junho São Paulo, algumas das cultivares quase prontas para liberação incluem um amendoim forrageiro (BRS Mandobi), um Paspalum, um estilosantes, dois Panicum, uma braquiária, e um capim elefante a ser plantado por sementes. A “colheita de frutos” dessa parceria começa a acontecer com expectativas de significativos benefícios á produção animal em pastagens no Brasil.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Forrageiras - Artigos já Publicados

A Odisséia de um capim - B. decumbens cv. Basilisk
06/02/2012

O III Simpósio Internacional sobre o Melhoramento de Forrageiras
14/12/2011

A geração de cultivares de forrageiras frente a mudanças climáticas
05/10/2011

Boas Práticas Agropecuárias
16/03/2011

BRS Tupi: uma nova cultivar de B. humidicola
19/01/2011

Como estimar o que engorda o boi
09/12/2010

Brachiaria e/ou Urochloa: dando nomes às plantas
09/08/2010

Apomixia e a reprodução nas gramíneas forrageiras
13/05/2010

Pastagens: mitos e realidades
13/04/2010

A pecuária e os gases de efeito estufa
08/03/2010

A escolha da forrageira para a formação de pastagens
04/02/2010

A biotecnologia e as forrageiras tropicais
06/01/2010

O Melhoramento de Pastagens, ontem e hoje
01/12/2009

Conteúdos Relacionados à: Forrageiras
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada