dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     02/07/2022            
 
 
    

Dar atenção para a questão da sustentabilidade tornou-se hoje premissa para o produtor rural que deseja ingressar no mercado internacional. Trata-se de uma qualidade, a sustentabilidade, que garante competitividade ao empresário do agronegócio. Essa sustentabilidade, no entanto, vai além da preocupação com uma produção que garanta também o equilíbrio ambiental. O fazer sustentável tem no meio ambiente um de seus pilares, mas está também para além deste. Autores como Schutel (2010)  apontam que a sustentabilidade estará no aspecto ambiental, econômico, político, cultural, social e humano. Quando se fala em produção agrícola sustentável fala-se, portanto, em um viés econômico e ambiental que auxilie a também manter o equilíbrio das relações humanas, políticas, sociais, culturais e econômicas de uma localidade.
 
No momento em que se tem um ambiente de produção sustentável o produto ali realizado passa a ter mais valia. Por trás da sustentabilidade, estará sempre o giro econômico, o ser humano, o negócio, a empresa e o meio ambiente . O princípio da preservação assegurado constitucionalmente é o mesmo ao que vale para a preservação do meio ambiente: assegurar que a sociedade atual tenha condições de existência em equilíbrio, mas que também as futuras gerações o tenham.
 
Uma das ferramentas à disposição do empresário para auferir a sustentabilidade de sua produção está na aplicação de medidas de certificação e rastreabilidade, na observação da legislação pertinente às regras para o comércio exterior e também na adoção da ISO (International Organization for Standardization) – entre elas, por exemplo, a ISO 22000, que auxilia o controle da gestão da segurança de alimentos ligada à cadeia produtiva, e ISO 14001, que aborda sistemas de Gestão Ambiental. Qualificando a produção e ingressando no mercado internacional já estando preparado em relação às normas, pode-se ter maior valor agregado.
 
Esta busca por adequar a produção aos padrões internacionais faz parte do necessário e constante aperfeiçoamento que se faz sempre presente na rotina do empreendedor atuante em um mercado globalizado. A sustentabilidade pressupõe desenvolvimento, ela não é manutenção do atual modo de ser, traz em si a idéia de um crescimento organizado. Compreende também um ciclo de desenvolvimento. Desenvolvimento que só é possível com o preparo do empreendedor do agronegócio para o enfrentamento do mercado internacional.
 
Temos, no Brasil, todos os princípios necessários ao crescimento do agronegócio: extensões de terra, empreendedores para gerenciar estas terras, condições climáticas favoráveis, pesquisa em ciência e tecnologia voltadas para o agro e uma situação econômica próspera e favorável. Também as perspectivas oficiais apontam para o aumento da produção no futuro.

Documentos como o relatório “Projeções do Agronegócio 2010/2011 a 2020/2021”, divulgado, em junho de 2011, pela Assessoria de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, expõe a diversidade de produtos que estão previstos como os mais dinâmicos do agronegócio nacional nos próximos anos: algodão, soja, carne bovina, carne de frango, açúcar, papel e celulose. As estimativas realizadas até 2020/2021 são de que a área total plantada com lavouras deve passar de 62 milhões de hectares, em 2011, para 68 milhões, em 2021.

O documento diz ainda que o crescimento da produção agrícola no Brasil deve continuar acontecendo com base na produtividade. Se temos o produto em abundância para dar suporte ao desenvolvimento futuro das exportações, talvez seja preciso ampliar a conscientização do empresário sobre a utilidade do investimento em ciência e tecnologia como garantia da sustentabilidade de suas técnicas produtivas e em adequação às certificações, rastreabilidade, normas e regulamentos nacionais e internacionais e fomentar sua competência competitiva como atitude empreendedora, permitindo a ele um diálogo direto com o mercado internacional.
 
SCHUTEL, S. Ontopsicologia e Formação de Pessoas na Gestão Sustentável do Centro Internacional de Arte e Cultura Humanista Recanto Maestro. Dissertação de mestrado, Programa de Pós-Graduação em Administração, Universidade Federal de Santa Maria. Santa Maria: 2010. Disponível em: http://migre.me/5Bjum

Artigo originalmente publicado em 31/08/2011

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Agda Silva Prado
02/09/2011 - 00:17
Este documento esta equivocado pois nao lembrou da cafeicultura nacional.
Sendo que o Brasil Ú o maior produtor de cafÚ do mundoooo.

Vanessa Couto Silva Costa. UFF/RJ
25/06/2015 - 15:58
O latifúndio e monocultura nunca será sustentável. Ele é por si só depredador por ser o cultivo de um só alimento em grandes partes de terra. Não consigo ver sustentabilidade ambiental nem social no agronegócio lucrativo.

Para comentar
esta matéria
clique aqui
2 comentários

Agronegócio Internacional - Artigos já Publicados

Brasil: um gigante do agronegócio internacional
27/05/2011

Conteúdos Relacionados à: Agronegócio
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada