dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     09/08/2022            
 
 
    

O Brasil hoje produz carne suína com razoável produtividade, com uma sanidade muito próxima do que se espera e é possível, com granjas altamente tecnificadas, com aceitação razoável ou boa pelo público consumidor, com baixo colesterol, baixo teor de gordura, saudabilidade comprovada, bons teores de proteína, ótimos e necessários teores de Potássio e de Ferro.

Porém o produtor vive de altos e baixos, na dependência de uma abertura de um mercado externo, torcendo para que não haja nenhuma imposição de alguma barreira comercial,  então isto quer dizer que:

1- Vendemos para aqueles que necessitam e não fazem muita questão de saber a quantas anda a tal de SANIDADE e portanto pagam pouco.

2- Vendemos para aqueles que estão precisando e que portanto não podem impor grandes barreiras, porém também não pagam muito.

3- Vendemos para quem paga um pouco mais, e dependemos dele, porém impõe uma série de restrições e negociatas, e as vezes nos deixa a ver navios.

4- Não vendemos nada para quem paga muito bem, porque impõe barreiras sanitárias, comerciais, bem estar animal, adequação ambiental da produção e etc.

Por que nós não atingimos estes mercados, se a nossa carne é tão boa ou melhor que a deles?

Porque nós não somos um país livre de FEBRE AFTOSA sem vacinação, porque nós não temos um processo de rastreabilidade e de certificação que garanta todas estas exigências, nós não temos nenhum processo escrito, documentado, demonstrador a qualquer dia e a qualquer hora, das condições  em que foram produzidos aqueles animais, como foram abatidos, como foi manipulada sua  carne e melhor ainda que nos diga  se houver algum problema com este produto, aonde ele chegar, que mostre que ele veio do BRASIL, do Estado “X”, foi produzido pelo Sr. Suinocultor “X”,  na Granja Suíno Feliz.

Isto simplificadamente é um processo de RASTREABILIDADE e de CERTIFICAÇÃO.

Por que não fazemos, se é tão simples? Porque é mais cômodo ficar como está, não se incomodar, este negócio de exportação é para grandes, isto não é para mim.

E o consumidor interno, como fica? Ele não exige qualidade, compra o que tiver para vender.

Ledo engano, o consumidor interno que é o nosso maior cliente, quer qualidade sim, exige e paga por ela, mas ele também quer ver o processo confirmado do inicio ao fim, quer ver boa apresentação, cortes adequados e a garantia de que é uma carne saudável.

Vamos pensar um pouco sobre isto? A sim, eu ia esquecendo de dizer, este processo normalmente  remunera melhor, garante mercado, e será ele que irá dizer quem continuará neste mercado em um futuro bem próximo.

Não perca tempo entre em contato com sua Associação, e comece a ser o suinocultor do futuro.   
 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Suinocultura - Artigos já Publicados

O produto suíno é importante para o país?
17/06/2011

De olho no consumidor
10/12/2010

Benefícios da carne suína na alimentação humana
03/11/2010

Suinocultura e o crescimento do consumo interno
24/09/2010

Conteúdos Relacionados à: Certificação
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada