dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     09/08/2022            
 
 
    

O Estado de Santa Catarina foi oficialmente reconhecido, nesta terça-feira, 16 de novembro, como área livre de febre aftosa sem vacinação pelo governo dos Estados Unidos. O Serviço de Inspeção de Saúde Animal e Vegetal (Aphis, sigla em inglês) publicou no diário oficial daquele país (The Federal Register) a inclusão do estado na lista de regiões livres também de outras doenças animais. Este é mais um passo para a abertura daquele mercado à carne suína in natura catarinense, pleiteada pelo governo brasileiro desde 2007.

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi, comemorou o anúncio feito pelo governo americano. “É uma vitória importante para o país. Os avanços nas negociações internacionais são fruto do esforço da iniciativa do governo brasileiro, em especial dos ministérios das Relações Exteriores e do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, além das entidades de classe”, disse. “O Brasil ganha mais respeito, reconhecido como um dos grandes produtores de alimentos do mundo”.   

De acordo com a publicação, a medida entra em vigor em 1º de dezembro de 2010 e, quando os governos dos dois países poderão definir os requisitos de saúde pública a serem atendidos pelos estabelecimentos frigoríficos catarinenses interessados em exportar carne suína in natura para o mercado norte-americano. Além disso, o reconhecimento por parte de um dos países mais exigentes no controle sanitário animal reforça a imagem do produto brasileiro perante outros mercados e dá condições ao Brasil de prosseguir também com as negociações para a abertura das exportações de carne bovina in natura, que já duram 11 anos.

As autoridades sanitárias norte-americanas cumpriram o prazo informado ao Ministério da Agricultura brasileiro há um mês, durante a reunião do Comitê Consultivo Agrícola Brasil – Estados Unidos, realizado em Washington. Na ocasião, o governo daquele país sinalizou que esse reconhecimento poderia acontecer até o dia 30 de novembro. Na mesma reunião, os norte-americanos prometeram finalizar documento com a análise de risco para a carne bovina in natura até 31 de janeiro de 2011. (Eline Santos)

         


 

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Ainda não existem comentários para esta matéria.
Para comentar
esta matéria
clique aqui
sem comentários

Conteúdos Relacionados à: Pecuária
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada