dia de campo

a
Esqueceu a senha?
Quero me cadastrar
     09/08/2022            
 
 
    

O controle biológico de insetos praga e doenças é quando utilizamos organismos (fungos, bactérias, vírus, nematóides ou insetos), que possuem efeito como biocontroladores. Os fungos entomopatogênicos são utilizados no controle de insetos praga, quando aplicados na lavoura promovem o controle destes insetos de forma natural. O Trichoderma é um fungo biocontrolador de doenças e têm a capacidade de se “alimentar” de fungos fitopatogênicos, desta forma, este micro-organismo promove o controle e reduz a pressão do inoculo de doenças no campo.

O Trichoderma tem sido muito utilizado para o controle do mofo-branco (Sclerotinia sclerotiorum) em feijoeiro, doença que tem se tornado freqüente e causado muitos danos as lavouras com elevada redução de produtividade. Vários são os motivos que tornaram o mofo-branco uma doença comum e destrutiva, como a utilização de sementes contaminadas, a sucessão de culturas como soja e feijão em áreas irrigadas, o crescimento vegetativo exagerado (excesso de adubação nitrogenada), a capacidade do fungo em produzir estruturas de resistência (escleródios) que podem sobreviver por mais de oito anos no solo e a baixa eficiência dos fungicidas químicos como preventivos da doença.

O uso do controle biológico tem diversas vantagens quanto ao uso do controle químico. Primeiramente, por se tratar de um controle natural, o impacto ambiental é baixo quando comparamos com o controle químico e também podemos ressaltar que no controle biológico não existe o problema da resistência quanto ao principio ativo, como ocorre com o uso continuo do controle químico. O Trichoderma tem efeito sobre os escleródios promovendo a redução do inoculo da doença no campo e conseqüentemente a sua incidência. O controle químico não tem efeito sobre essas estruturas de resistência, sendo está uma das principais vantagens do uso do controle biológico para o controle do mofo-branco.

O controle biológico do mofo-branco em feijoeiro deve ser realizado de forma integrada, ou seja, devemos adotar um conjunto de práticas de manejo que irão atuar para o controle da doença no campo, pensando dessa forma práticas como a rotação de culturas e manejo da palhada, sementes sadias e tratadas, adubação equilibrada, controle na irrigação (evitar excesso de umidade), controle químico e controle biológico, são fundamentais para um controle efetivo da doença. A recomendação é que seja realizada a aplicação do Trichoderma e o monitoramento da doença, e quando necessário seja feita a aplicação com o fungicida químico. O uso isolado do controle biológico não resolve totalmente o problema do mofo-branco, principalmente no primeiro ano de aplicação, mas reduz a incidência e severidade da doença, tornando a aplicação do fungicida menos freqüente.

O controle biológico com Trichoderma para o mofo-branco em feijoeiro deve ser utilizado de forma preventiva e pode ser realizado no tratamento de sementes ou com pulverização em área total quando a cultura estiver com três a quatro trifólios, sempre observar e seguir a recomendação do fabricante. A umidade do solo é fundamental para a eficiência do controle biológico, portanto devemos utilizar o Trichoderma preferencialmente antes da irrigação ou de chuvas. A aplicação pode ser realizada conjuntamente com a irrigação e devemos sempre que possível evitar a aplicação conjunta de produtos biológicos com defensivos químicos.

Aviso Legal
Para fins comerciais e/ou profissionais, em sendo citados os devidos créditos de autoria do material e do Jornal Dia de Campo como fonte original, com remissão para o site do veículo: www.diadecampo.com.br, não há objeção à reprodução total ou parcial de nossos conteúdos em qualquer tipo de mídia. A não observância integral desses critérios, todavia, implica na violação de direitos autorais, conforme Lei Nº 9610, de 19 de fevereiro de 1998, incorrendo em danos morais aos autores.
Jeferson Antônio de Souza (jeferson@biosolos.com.br)
31/08/2010 - 15:54
Achei muito boa a matÚria. Inclusive, gostaria de fazer contato com o autor, pois temos trabalhado em palhada com um produto para substituir a urÚia, Ó base de complexos enzimßticos, juntamente com Trichoderma antecedendo plantio de girassol ap¾s milho. O resultado foi muito bom e gostaria de trocar umas ideias e, quem sabe, colocar alguma coisa no campo neste sentido.

Para comentar
esta matéria
clique aqui
1 comentário

Controle Biológico - Artigos já Publicados

Controle biológico das cigarrinhas da cana-de-açúcar
24/06/2013

Baculovírus: uma tecnologia em desuso
04/07/2011

Bacillus subtilis: agente de controle biológico e promotor de crescimento em plantas
18/04/2011

Para controlar a praga dos corintianos
16/11/2010

Mofo Branco atinge diversas culturas e exige muita atenção do produtor
07/10/2010

Conteúdos Relacionados à: Controle biológico
Palavras-chave

 
11/03/2019
Expodireto Cotrijal 2019
Não-Me-Toque - RS
08/04/2019
Tecnoshow Comigo 2019
Rio Verde - GO
09/04/2019
Simpósio Nacional da Agricultura Digital
Piracicaba - SP
29/04/2019
Agrishow 2019
Ribeirão Preto - SP
14/05/2019
AgroBrasília - Feira Internacional dos Cerrados
Brasília - DF
15/05/2019
Expocafé 2019
Três Pontas - MG
16/07/2019
Minas Láctea 2019
Juiz de Fora


 
 
Palavra-chave
Busca Avançada